Passo a passo para montar um mercadinho no seu bairro

Se você quer abrir um negócio com pouco dinheiro na sua vizinhança, o mercadinho de bairro pode ser uma ótima oportunidade!
8 de agosto de 2019LEITURA DE 14 MIN

São considerados mini mercados os estabelecimentos com até quatro caixas ou com uma área de venda de 150 metros quadrados, de acordo com o Sebrae. Se você está pensando em abrir um mercadinho no seu bairro, confira as dicas do blog Dono do Negócio

Como todo em todo tipo de negócio, a pesquisa e o planejamento são os melhores amigos do pequeno empreendedor! Por isso, ao decidir abrir um mercadinho, é importante estudar gestão empresarial, caso você não tenha nenhum conhecimento.

Também será essencial pesquisar as características particulares desses estabelecimentos voltados para o abastecimento de alimentos e outros produtos.

Uma vantagem em abrir um mercadinho de bairro é poder usar um espaço pequeno para iniciar o empreendimento. Este tipo de estabelecimento também pode ser uma boa oportunidade de negócio pela variedade do público. Em urgências e necessidades, os moradores costumam recorrer às lojas mais próximas de casa!

Mas, afinal, como abrir um mercadinho no seu bairro? Siga o passo a passo abaixo para começar a tirar a ideia de negócio do papel!

1. Escolha o local ideal

Bairros residenciais são ideais para abrir um mini mercado. Os moradores, quando necessitam de itens específicos ou querem fazer pequenas compras, recorrem primeiro ao mercadinho mais próximo de casa.

É também ali que eles costumam voltar com mais frequência em um curto espaço de tempo — ao contrário do que acontece com as grandes redes de supermercados, muito usadas para compras de mês.

Isso não significa que os bairros mais comerciais devem ser totalmente descartados. Eles também têm espaço para os pequenos mercados, mas a procura pode ser menor.

Isso porque o público seria formado principalmente funcionários das empresas, que estão em busca de produtos de consumo rápido e não de itens básicos de alimentação, como arroz, feijão e óleo, por exemplo.

Quando for escolher o local para abrir o mercadinho, pesquise quais outros estabelecimentos do ramo estão próximos e onde os moradores costumam comprar suas mercadorias atualmente. Bairros com pessoas com maior poder aquisitivo consequentemente terão produtos mais exclusivos e, muitas vezes, mais caros.

Descubra quantas vezes os moradores vão aos mercados por semana. Um bairro que abriga muitos estudantes, por estar próximo a universidades, terá uma rotina de compra diferente de uma vizinhança composta principalmente por pessoas da terceira idade. Essa diferença de moradores também reflete na forma de consumo da região.

2. Decida o layout para mercadinho de bairro

A estrutura geral de estabelecimentos desse setor é sempre muito parecida. A diferença entre um supermercado e um mini mercado está no tamanho e no número de seções de produtos disponíveis.

O layout para mercadinho de bairro deve ser pensando para que os clientes tenham espaços para circular com tranquilidade pelo local e também para que eles consigam encontrar os produtos com facilidade. Neste caso, é melhor não lotar o espaço com móveis e usar somente o necessário para comportar os itens.

Além disso, é de extrema importância manter a organização do espaço, uma vez que ambientes pequenos ficam visivelmente bagunçados com mais facilidade.

Para isso, tenha claras divisões entre as seções, procure manter frutas, legumes e verduras próximas e nunca misture produtos de limpeza e higiene com os alimentos. 

O layout para mercadinho de bairro também deve seguir uma identidade visual consistente: crie um logotipo para fortalecer a marca do seu mini mercado e aplique-o no projeto de decoração.

3. Compre os equipamentos

Para começar um mercadinho com pouco dinheiro não é necessário investir em muitos equipamentos. Logo de cara, você vai precisar investir nas chamadas gôndolas, que são as prateleiras para expor os produtos, e no primeiro estoque de mercadorias.

Também será necessário ter refrigeradores, balanças para pesar carnes e frutas, além de itens do caixa para registrar as compras. 

Os equipamentos necessários para abrir um mini mercado incluem também um software de gestão de caixa, carrinhos e cestinhas de compras. Lembre-se que você pode ir expandido os processos e não precisa montar um mercadinho já oferecendo uma seleção enorme de itens. 

Existem alguns materiais específicos para o caso de venda de carnes, como itens para a montagem de um açougue e de uma seção de frios (que demandam o cortador dos embutidos). Há ainda os equipamentos para a produção de pães, caso o mercadinho de bairro também venda produtos de padaria.

4. Feche com os fornecedores

A escolha dos fornecedores é crucial para o sucesso de um negócio. As empresas ou pequenos empreendedores que vão fornecer produtos ou matéria-prima para seu mercadinho devem preencher alguns requisitos básicos.

Dentre eles, estão: ter qualidade, oferecer um preço competitivo em relação aos outros fornecedores e, claro, mostrar comprometimento com prazos e entregas. 

Não há como montar um mercadinho sem bons fornecedores. Produtos básicos vendidos nesses estabelecimentos — como arroz, feijão, óleo, farinhas, bolachas e leites, por exemplo — não podem ficar em falta.

Ou seja, um fornecedor que não prestar serviço de forma excelente pode acabar dando prejuízo para o pequeno mercado. Fique de olho nesse ponto!

5. Saiba gerenciar o estoque

Pequenos mercados funcionam de uma forma muito diferente quando comparados com grandes. Uma das diferenças está na forma e no espaço onde os produtos ficam guardados.

Isso porque a maior parte do estoque dos estabelecimentos menores pode ficar nas próprias prateleiras, à disposição do cliente.

Mas mesmo que o mercadinho de bairro tenha um estoque menor, ele deve contar com um espaço de estocagem muito bem cuidado e gerenciado.

Assim, os alimentos e demais produtos permanecerão com a qualidade intacta e o dono do negócio não sofrerá com a falta ou o excesso de qualquer item.

Se você não tem nenhum conhecimento em gestão de estoque, pode começar a estudar online e de graça com cursos como o oferecido pelo Sebrae.

O treinamento Mantendo o estoque em dia, por exemplo, tem 3 horas de duração e apresenta conceitos sobre a organização, giro e inventário de estoque.

Esse controle de estoque pode ser feito de forma online, com aplicativos gratuitos e pagos que funcionam como um software de gestão dos produtos.

A maioria das plataformas permite a criação de um catálogo dos itens e a realização de registros de entrada e saída de mercadoria, além de mandar uma mensagem de alerta quando os produtos estiverem em falta.

6. Escolha os funcionários certos

O quadro de funcionários de um mercadinho de bairro deve incluir pessoas encarregadas da gerência do local, da limpeza e da operação do caixa, além de empacotador, estoquista e repositor.

Se a loja trabalhar com outros serviços, também deve ter açougueiro, padeiro e até entregador, por exemplo. 

Ainda assim, vale lembrar que os números da Associação Brasileira de Supermercados (ABRAS) mostram que há uma grande rotatividade de funcionários no ramo de atividades ligadas aos mercadinhos de bairro.

De acordo com a entidade, oferecer treinamento para qualificação, salários competitivos e planos de carreira ajuda na retenção dos profissionais.

Ainda dentro da escolha dos funcionários, é importante padronizar a vestimenta dos trabalhadores. Invista em um uniformes com o logotipo da marca do mercadinho de bairro!

7. Fique atento às normas e exigências legais

Como abrir um mercadinho pequeno sem conhecer as exigências oficiais para a atuação nesse setor? Impossível!

Além da burocracia de qualquer novo negócio, como abertura de CNPJ e registro na Junta Comercial do Estado, na Receita Estadual e na Prefeitura, a criação de um mini mercado demanda o cumprimento de regras específicas.

As exigências do setor incluem a Indicação de Responsabilidade Técnica — que determina que os estabelecimentos do ramo de alimentação devem ter um responsável pela manipulação dos alimentos.

Essa pessoa não precisa ter formação específica nem estar no contrato social do negócio, mas deve realizar cursos na área de controle de qualidade dos alimentos.

E quanto às normas técnicas da ABNT (Associação  Brasileira de Normas Técnicas) que devem ser seguidas na hora de montar um pequeno mercadinho de bairro?

Existe a padronização dos sacos de papel para supermercados, há requisitos e condições dos expositores frigoríficos que irão armazenar alimentos e é preciso seguir regras referentes às instalações elétricas de baixa tensão nos mini mercados. 

8. Divulgue e faça promoções 

Mesmo nos pequenos negócios, como é o caso de um mercadinho de bairro, o plano de divulgação é importantíssimo.

Dependendo da região que você escolher para empreender, poderá trabalhar com materiais gráficos, como os panfletos, para contar aos moradores sobre a novidade. Outra ótima forma de atrair a clientela é fazer promoções de inauguração!

As redes sociais também podem ser aliadas do pequeno negócio, embora elas nem sempre sejam pensadas como uma opção para quem tem um mercadinho de bairro.

De acordo com as dicas do especialista em marketing digital Fernando Souza, a melhor plataforma para cada empresa é onde o público-alvo está. Não tenha medo de usar os perfis para divulgar promoções, mostrar quando novos produtos chegarem às gôndolas e contar um pouco do dia a dia do negócio!

Tem outras dúvidas sobre como montar um mini mercado? Deixe o seu comentário!

ASSUNTOS

Equipe Dono do Negócio

O Dono do Negócio é um blog feito pela SumUp para te ajudar a vender melhor.