Como montar um pet shop com pouco dinheiro

No Brasil, o mercado de serviços para animais domésticos não para de crescer. Aproveite esta oportunidade de negócio com as dicas sobre como montar um pet shop
3 de agosto de 2019LEITURA DE 15 MIN

O mercado de pet shops no Brasil está bem aquecido. De acordo com uma reportagem da revista Exame, o mercado de animais de estimação no Brasil deve faturar R$ 20 bilhões em 2020, segundo um estudo do GS& Gouvêa de Souza — grupo especialista em varejo e consumo.

Segundo o IBGE e o Instituto Pet Brasil, a população de animais no país hoje inclui 54,2 milhões de cães, 39,8 milhões de aves, 23,9 milhões de gatos, 19,1 milhões de peixes e 2,3 milhões de répteis e pequenos mamíferos. 

Com pesquisa e planejamento, é possível montar um pet shop com pouco dinheiro. Dados do instituto de pets trazem boas notícias aos pequenos empreendedores que querem se aventurar nesta oportunidade: das 31.640 lojas de varejo especializadas que existem no Brasil atualmente, 79,6% são pet shops de bairros, com até 4 funcionários, que têm um faturamento mensalmente em torno de R$ 60 mil e R$ 100 mil.

As demais fatias do mercado são exploradas por pet shops de médio porte (18,6%, com faturamento de R$ 101 mil a R$ 250 mil), grandes lojas regionais (1,3%, que faturam de R$ 250 mil a R$ 750 mil) e por grandes lojas nacionais (0,5%, com faturamento mensal maior que R$ 750 mil).

Ficou animado? Se você quer montar um pet shop, comece a pesquisar o mercado de pets na sua região e estude as características desse tipo de negócio — como o público-alvo, a localização e a concorrência.

Lembre-se que, ao abrir um novo negócio, você lidará com bichinhos que muitas vezes são tratados como filhos pelos seus donos. A chamada humanização dos pets demanda ainda mais cuidado do que os animais naturalmente já merecem! 

Confira o passo a passo para montar um pet shop de sucesso!

1. Defina os serviços que o pet shop vai oferecer

Existem diferentes tipos de pet shops e uma grande variedade de serviços. Ao abrir o seu pequeno negócio, evite já começar com absolutamente todas as funções que um estabelecimento do ramo pode ter.

É possível montar um pet shop com banho e tosa, atendimento veterinário de emergência ou com marcação de consulta e venda de produtos como rações, roupinhas e brinquedos para pets. Mas como montar um pet shop pensando em produtos ou serviços novos para se diferenciar da concorrência? Aposte em recursos estéticos para os bichinhos, como tratamentos para os pelos e cuidados com os dentes. 

Também já existem serviços diferenciados voltados para o bem-estar dos pets, a exemplo da acupuntura ou natação para cachorros. Se o espaço do pet shop permitir, o serviço de hospedagem é uma nova solução para os donos de animais que precisam viajar e não têm com quem deixar os bichinhos.

A alimentação também é bastante importante para alguns donos de pets. Sendo assim, produtos orgânicos, frescos e até caseiros podem conquistar clientes que buscam melhorar a saúde e a qualidade de vida de seus animais.

2. Descubra o que precisa para abrir seu pet shop (equipamentos e materiais)

De acordo com o Sebrae (Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas), ainda que a decisão sobre o tamanho do negócio seja do empresário, recomenda-se uma área mínima de 50m² para abrir um pet shop

Um estabelecimento pode ser dividido entre o consultório veterinário, espaço de banho e tosa e loja de produtos para animais, por exemplo. Em cada um desses espaços é necessário investir em equipamentos e materiais diferentes.

Para abrir um pet shop pequeno que ofereça serviços veterinários, como consultas ou atendimentos de emergência, é indispensável e obrigatória a contratação de um profissional médico veterinário. Além disso, é preciso investir em itens como balança, carrinho de curativo, aparelho Doppler Vascular, microscópio, mesa de atendimento e suporte de soro.

Ainda com base no Sebrae, um espaço de 4m² é suficiente para dar banho e tosar os pets. Os custos para montar um pet shop com banho e tosa incluem equipamentos como secador, máquina e lâminas de tosa, banheira, tesouras, alicates, canil e caixa de transporte. Também é preciso considerar gôndolas, balcão, computador e uma maquininha de cartão de crédito, claro. 

3. Escolha o melhor endereço

Segundo o Instituto Pet Brasil, a maioria dos pet shops no país se enquadra na categoria das lojas de vizinhança. Isso significa que, para abrir uma loja dedicada aos bichinhos domésticos, não é estritamente necessário estar em um ponto fixo localizado nos centros das grandes cidades — onde os aluguéis costumam ser mais caros e a competição comercial é maior.

Mas o fato de existirem mais lojas pequenas também não significa simplesmente conseguir um imóvel em qualquer lugar. A localização de um pet shop deve ser decidida com pesquisa. Descubra o número de estabelecimentos do mesmo ramo que existem na região em que você deseja montar um pet shop e quais os hábitos de compra dos moradores no entorno.

Também é importante analisar o valor do aluguel com base na expectativa de ganhos do seu plano de negócios, além de colocar o gasto dentro de um orçamento real. Além disso, como em qualquer outro empreendimento, é preciso ficar atento à facilidade de acesso para o cliente e seus pets. Informe-se ainda sobre a segurança da região e a respeito da disponibilidade para receber serviços — o fornecimento de água, energia, telefone e internet.

4. Conheça a sua concorrência  

Na hora de montar um pet shop, você precisa saber quais são os empreendimentos que competirão com a sua empresa. Esse é um passo importante na execução do planejamento de abertura do negócio, já que o excesso de concorrência pode aparecer como uma das ameaças no setor.

Faça uma pesquisa ao escolher o endereço para descobrir quantos estabelecimentos que atendem pets existem na região, quais serviços são oferecidos e até mesmo quanto esses negócios faturam por mês. Eles estão sempre cheios? Fazem muitas promoções? Qual o público que mais frequenta a loja?

Analisar a concorrência é uma questão estratégica também para a construção da sua marca no mercado. Com base nos negócios que estão dando certo e também nos empreendimentos que não estão muito bem, é possível aumentar o número de acertos no dia a dia do seu negócio.

Neste caminho, também é importante saber diferenciar quem é o seu concorrente direto e quem não compete diretamente com o seu negócio. Isso porque, ainda que dentro de um mesmo setor, dois pet shops podem ter públicos diferentes e oferecer serviços bastante distintos!

5. Verifique se o seu pet shop precisa de um veterinário

Essa é uma escolha que você como dono do negócio deve fazer. Ao abrir um pet shop pequeno, você ainda não precisa contratar um veterinário, pois não é obrigatório oferecer serviços como consultas agendadas, aplicação de vacinas ou atendimentos de emergência. Mas, uma vez que passar a prestar atendimento médico para os animais, é obrigatória a contratação de um profissional veterinário e do registro do estabelecimento no Conselho Regional de Medicina Veterinária (CRMV).

Se o seu pet shop oferecer serviços de banho e tosa, os funcionários responsáveis por essas atividades devem ter um curso profissionalizante para atuar. Isso porque são necessários conhecimentos e habilidades técnicas que possam garantir a saúde dos pets durante os procedimentos.

Além disso, o quadro de funcionários de um pet shop também deve ter uma pessoa responsável pelo atendimento para agilizar a recepção dos clientes. Segundo o Sebrae, o piso salarial dos empregados de um estabelecimento do ramo de animais domésticos é regulado pelo Sindicatos do Comércio e Sindicato dos Médicos Veterinários.

6. Conheça as leis e regulamentos para montar um pet shop

O setor de pet shop tem algumas legislações específicas, que vão além da burocracia tradicional de abrir um negócio.

É preciso se atentar, por exemplo, à Resolução 1.069 — em vigor desde janeiro de 2015. Ela fala sobre “Diretrizes Gerais de Responsabilidade Técnica em estabelecimentos comerciais de exposição, manutenção, higiene estética e venda ou doação de animais”. 

A norma do Conselho Federal de Medicina Veterinária (CFMV) trouxe mudanças como a proibição do contato direto dos animais para venda ou adoção com os clientes e a necessidade dos bichinhos estarem em dia com o calendário de vacinação antes de sair do pet shop.

Os pet shops também devem zelar pelo bem-estar do animal, proporcionando um ambiente sem barulho excessivo, com luminosidade adequada, protegido de correntes de ar e com temperatura boas para os animais — e, claro, com espaço suficiente para os bichos conseguirem se movimentar.

A norma tentou emplacar a necessidade da presença de um médico veterinário em qualquer estabelecimento do ramo, mas uma decisão de 2017 do Superior Tribunal de Justiça (STJ) dispensou os pet shops dessa obrigação, considerando o profissional indispensável apenas nos casos em que a atividade básica estiver ligada ao serviço veterinário.

7. Defina o seu investimento inicial

O investimento para abrir um pet shop vai depender da sua ideia de negócio. Ou seja, a pergunta sobre quanto custa montar um pet shop terá respostas diferentes dependendo de fatores como o tamanho do imóvel que abrigará o estabelecimento, quantos funcionários serão contratados já nos primeiros dias do negócio e a quantidade de serviços oferecidos.

Segundo o Sebrae, uma loja de animais de 50m² deve ter um investimento inicial de aproximadamente R$ 88.550, considerando a reforma do local, aluguel, divulgação, estoque inicial, móveis e equipamentos, taxas e impostos e o capital de giro

Tem outras dúvidas sobre como montar um pet shop? Deixe o seu comentário!

ASSUNTOS

Equipe Dono do Negócio

O Dono do Negócio é um blog feito pela SumUp para te ajudar a vender melhor.