4 passos para declarar imposto de renda

LEITURA DE 8 MIN

Declarar imposto de renda não é tão complicado quanto você imagina. Mas é preciso se preparar para não cometer erros ou perder o prazo. Quem separa os documentos antes e lê todas as instruções com atenção provavelmente não  terá dificuldades para fazer a declaração.

Todos os anos, os brasileiros que faturaram um valor mínimo, estabelecido pela Receita Federal, devem declarar imposto de renda. Desta vez, é de R$ 28.880,570.  Mas, atenção: o valor diz respeito ao ano anterior. Portanto, a sua declaração de 2018 irá mostrar tudo o que você faturou em 2017 (salário, pró-labore, compra de imóveis e assim por diante).

Neste ano, o prazo estabelecido para enviá-la vai de 1º de março até 30 de abril.

Mas o que é imposto de renda

Antes de declarar, é preciso entender o que é imposto de renda e por que você deve declará-lo. Como o próprio nome diz, é um “imposto sobre a renda”, ou seja, é o pagamento de uma porcentagem da sua renda anual para o governo. Portanto, quem ganha mais, paga mais. Ele existe para que o Estado arrecade recursos, que serão investidos na saúde, educação, obras de infraestrutura e outros serviços públicos.

Empreendedores, trabalhadores autônomos, funcionários registrados e outros profissionais também devem declarar se estiverem dentro da faixa de valor estabelecida.

O que fazer para declarar imposto de renda

1 – Descubra se você precisa declarar

Antes de começar a preencher a declaração, descubra se você realmente precisa fazer isso. Veja qual o total de rendimentos tributáveis que você teve em 2017. Eles são aqueles sobre os quais é preciso pagar imposto de renda, como salário, aposentadoria, pagamento por prestação de serviços, dinheiro ganho com aluguel de imóveis, salário-educação ou auxílio-creche.Se eles passarem de R$ 28 mil, você precisa declarar.

Há, ainda, os rendimentos não tributáveis ou tributados exclusivamente na fonte. Os nomes parecem complicados, né? Mas apenas dizem respeito a uma lista de ganhos como rendimento de poupança, heranças, indenizações, seguro-desemprego e benefícios oferecidos pelo empregador (como vale refeição e plano de saúde). Se a soma deles for superior a R$40 mil em 2017, será preciso fazer a declaração.

Quem adquiriu imóveis ou terras que custaram mais do que R$300 mil até o dia 31 de dezembro de 2017 também deverá declarar imposto de renda. Neste guia, preparado por nós, é possível conhecer outras condições específicas que determinam quem deve fazer a declaração.

2 – Organize os documentos

Já descobriu se precisa mesmo declarar imposto de renda? Então o próximo passo é organizar os documentos. Nenhum comprovante é anexado na declaração, mas você irá precisar da papelada para registrar as informações corretas, como valores e dados pessoais.

Se você for empreendedor ou autônomo, separe as notas fiscais fornecidas na prestação de serviços ou venda de produtos. Seu livro-caixa, informes de rendimentos financeiros feitos pelo banco e outros documentos onde estão registrados os seus ganhos no ano anterior também serão necessários.

Além disso, você deverá reunir os registros de todos os seus bens, como veículos e imóveis, assim como os documentos de compra, venda e financiamento relativos ao ano anterior.

Por fim, reúna seus documentos pessoais, como CPF, RG e título de eleitor, assim como os dados dos seus dependentes (filhos ou outros parentes que dependem financeiramente de você). Se eles estudam em escola particular, por exemplo, deverá apresentar os recibos das mensalidades. Se você tiver realizado qualquer outra transação financeira no ano anterior, como uma doação ou o pagamento de despesas médicas, mesmo que seja o plano de saúde, será preciso apresentar os valores no imposto de renda.

3 – Veja se há despesas a serem deduzidas dos impostos

Para calcular o imposto a ser pago por cada pessoa, a Receita Federal leva em conta apenas os rendimentos tributáveis que ela recebeu. Além disso, algumas despesas com as quais arcou ao longo do ano podem ser deduzidas do imposto para que pague menos no final das contas.

Despesas médicas, gastos com educação e dependentes, contribuição para a previdência, pagamento de pensão alimentícia, contribuição para a previdência de funcionários e transações registradas no Livro-Caixa são algumas das despesas que podem ser deduzidas.

4 – Preencha a declaração

Finalmente chegou a hora de colocar as informações no sistema. A Receita Federal disponibiliza em seu site o programa para download, onde você deverá preencher a declaração. Com os documentos em mãos, basta completar os campos com os dados solicitados.

Durante o preenchimento, o sistema irá avisar se vale a pena fazer a declaração simples ou completa. É nesta última que você coloca os gastos que teve durante o ano para deduzir do imposto de renda e pagar menos. Essa opção é mais trabalhosa, mas vale a pena para quem teve muitos gastos e ganhos. Mas fique tranquilo: o programa irá te orientar durante o processo para que tome a decisão mais vantajosa para o seu bolso.

Equipe Dono do Negócio

O Dono do Negócio é um blog feito pela SumUp para te ajudar a vender melhor.