Aprenda como fazer um plano de negócios passo a passo

Está pensando em ser dono do seu próprio negócio? Saiba como montar um planejamento estruturado e eficiente para tirar a ideia do papel
10 de dezembro de 2019LEITURA DE 20 MIN

Planejamento é uma das atividades mais importantes na jornada de empreendedor – e será em qualquer momento da jornada da empresa. Por isso, antes mesmo de a ideia sair do papel é preciso saber como fazer um plano de negócios passo a passo, primeiro documento organizado que guiará o empreendedor em todas as tomadas de decisões

Um bom plano de negócios inclui detalhes sobre o mercado no qual a nova empresa será inserida, características estruturais da empresa, além dos objetivos que deverão ser alcançados e suas respectivas estratégias. Ter em mente – e documentado no papel – cada passo que a empresa dará dentro de seus primeiros anos é uma forma de diminuir riscos e até mesmo de saber como enfrentar as dificuldades inevitáveis que poderão aparecer pelo caminho. 

Além disso, saber como fazer um plano de negócios é indispensável porque ele deverá servir de termômetro sobre a viabilidade da empresa enquanto ela ainda está no “campo” das boas ideias. Quando o empreendedor abre um negócio sem um bom planejamento, poderá perder seu investimento financeiro mesmo que tenha um projeto incrível, simplesmente porque ele não foi bem executado. 

Os principais objetivos de um bom plano de negócios:

  • Conhecer o negócio e o mercado que ele estará inserido
  • Conseguir antecipar dificuldades
  • Saber como tomar decisões
  • Diminuir riscos
  • Analisar quando e como expandir o negócio
  • Ter dados para administrar bem a empresa
  • Conseguir orientações para atingir os objetivos do negócio
  • Apresentar a empresa para possíveis investidores

Se quer saber como fazer um plano de negócios passo a passo, separamos as melhores dicas para a construção do documento com base no modelo Sebrae

Não se esqueça que é preciso muita pesquisa e paciência para que não falte nenhuma informação importante para a abertura da sua empresa. Além disso, não é preciso ficar preso aos campos pré-definidos, siga as características particulares do seu modelo de negócio!

  1. Faça uma análise de mercado

Imagine que você tem o sonho de abrir uma loja de bolos caseiros e decide tirar a ideia do papel sem conhecer nada do mercado: o que pode acontecer? Sem o planejamento prévio, a sua empresa poderá ser surpreendida, por exemplo, com a existência de muitos estabelecimentos do ramo na mesma cidade ou até no mesmo bairro, situação que deixa o mercado muito saturado e demanda inovação para se destacar.

A análise de mercado é indispensável por este motivo e por vários outros, como a compreensão geral do funcionamento de um setor. Se o seu negócio for uma borracharia, conhecer as possibilidades de fornecedores de peças, por exemplo, é crucial na hora de decidir entrar no ramo. Afinal, caso a loja esteja em uma localização que não tenha quem forneça os produtos a uma distância próxima, é preciso levar em consideração o custo para conseguir comprar e revender os itens ou as ferramentas de uso diário no local. Como fazer uma boa análise de mercado:

  • Defina seu público-alvo

Dentro da análise de mercado, é preciso definir qual será o público-alvo do seu negócio. Como um setor pode ter diversos segmentos, como o de roupa infantil dentro do mercado de moda e confecção, este passo do seu plano de negócios deve ser o mais detalhado possível. 

A identificação dos consumidores pode ser feita com base em três perguntas:

  1. Quem está comprando no seu negócio?
  2. O que esta pessoa está comprando?
  3. Qual o motivo da compra?

Também é possível usar informações mais completas na hora de definir quem será impactado pelo seus produtos ou serviços. Por exemplo: descubra quais são os hábitos de compra do seu público-alvo. Eles costumam comprar apenas em lojas físicas ou também utilizam a internet como um caminho para obterem os itens? O seu negócio está dentro do setor de produtos que o cliente costuma consumir com que frequência? Todos os dias? Uma vez por semana? Ou muito esporadicamente?

Considere ainda – e utilize essas informações ao seu favor – o nível de renda, escolaridade, localização e o estilo de vida do público-alvo definido. Mais adiante, veremos que com esses dados em mãos, será possível direcionar especificamente o seus planos de comunicação e marketing para atrair clientes para o seu negócio!

  • Desenho de produtos e serviços

Independentemente dos produtos ou serviços prestados pelo seu negócio, é importante desenhar a imagem pela qual você pretende que eles sejam conhecidos pelos clientes. O bom custo-benefício, por exemplo, é uma característica capaz de atrair os consumidores que procuram por itens de qualidade que não pesam muito no bolso. Mas outras definições também podem funcionar de acordo com o seu público-alvo: qualidade excepcional, produtos exclusivos ou preço imbatível. 

  • Pesquise a concorrência

Também é parte da análise de mercado de um bom plano de negócios fazer uma pesquisa completa sobre a concorrência direta e indireta da sua empresa. A maneira como o competidor conquista clientes, quais produtos e a que preços ele vende, além do motivo pelo qual o consumidor prefere comprar na loja ao lado são informações que você pode usar para não perder vendas!

O que o concorrente deixa de fazer também pode ser útil na hora de montar o seu plano de negócios. Imagine que, ao pesquisar a concorrência direta da sua papelaria, você descubra que nenhuma das lojas do mesmo bairro oferecem o serviço de xerox e impressão. Essa é uma possibilidade de atuação, com base nas estratégias de venda dos seus competidores, que poderá se tornar um grande diferencial para trazer mais clientes e aumentar os ganhos da sua empresa.

Fique atento para um detalhe: ao descobrir que um concorrente está se saindo melhor em alguma etapa do processo, você não deve imediatamente aplicar as mesmas estratégias que ele têm ao seu negócio. Isso porque, cada empresa é diferente e vive momentos distintos também. Nem sempre, por exemplo, será possível fazer uma grande promoção apenas para competir com a loja ao lado, já que essa ação depende da situação atual do seu fluxo de caixa. 

  • Conheça os fornecedores

Empresas e pessoas que fornecerão produtos ou matérias-primas para o seu negócio devem ser cuidadosamente escolhidas. É importante decidir quais fornecedores contratar com base em um conjunto de fatores: preço, reputação da empresa, formas de pagamento aceitas e prazos de entrega. 

Muitas vezes será tentador escolher um determinado fornecedor que tem um preço muito abaixo da maioria do mercado ou que trabalha com um pagamento parcelado em mais vezes do que seus concorrentes. Neste momento, é preciso lembrar que qualquer problema com o fornecimento de materiais para o seu negócio poderá atrapalhar as vendas e até mesmo frustrar alguns clientes.

Por isso, pesquise muito cada um dos possíveis fornecedores antes de fechar. Faça visitas pessoalmente e também cheque informações pela internet, onde você poderá encontrar relatos de outras pessoas que já compraram com a mesma empresa. Além disso, não tenha vergonha de negociar prazos melhores, formas de pagamento personalizadas ou até mesmo pedir descontos para compras em atacado ou para planos de fidelidade.

2. Desenhe o conceito da marca

Definições como Missão, Visão e Valores de um negócio já eram importantes, mas estão cada vez mais visíveis para o consumidor final devido às possibilidades da tecnologia e do acesso à internet. Ter uma marca que se posiciona claramente sobre seu modelo de atuação é importante para quem quer se destacar no mercado! 

Dentro do conceito da sua marca é possível transparecer o quanto o seu negócio se importa com a experiência do cliente e com toda a cadeia produtiva. Deixe claro como funciona cada etapa do seu negócio, conte boas histórias para cativar os clientes e seja o mais transparente possível em todos os momentos! 

3. Monte o plano operacional

Quando a ideia de negócio estiver mais madura e bem descrita no planejamento, é hora de começar a definir como ela será executada. Desenhar o plano operacional inclui toda a estrutura que a empresa terá – da localização à capacidade produtiva e de venda.

  • Escolha a melhor localização

Abrir um negócio com um ponto fixo demanda muita pesquisa sobre o ponto comercial. A localização pode ser decisiva no sucesso da empresa, já que características como fácil acesso, alta circulação de pedestres e a vizinhança acabam atraindo ou espantando clientes.

Definir a melhor localização pode até não ser muito difícil, mas encontrar um bom espaço a um preço acessível será uma tarefa mais complicada dependendo da cidade. Nesta busca, nunca deixe de visitar um local antes de fechar negócio, converse com empreendedores que têm estabelecimentos próximos e vá até o endereço em diversos horários, já que a movimentação pode ser uma durante a manhã e outra totalmente diferente no fim do dia. 

  • Quantos funcionários são necessários para tirar a ideia do papel?

A sua empresa vai precisar de funcionários? Se sim, quantos? Essas decisões fazem parte do plano operacional do novo negócio. Muitas pessoas começam uma empresa com pouco ou nenhum funcionário e fazem contratações depois que o negócio começar a decolar com mais força. Neste momento, é comum usar a parceria e ajuda de familiares e amigos, por exemplo. 

Ao identificar quando chega o momento de contratar um funcionário, é preciso definir o perfil do profissional ideal para ocupar determinado cargo. Não negligencie o momento da entrevista e não contrate apenas com base na proximidade que tem com a pessoa. Saiba exatamente o que precisa para conseguir filtrar entre os profissionais disponíveis no mercado.

  • Conheça suas capacidades produtivas

Se você vai abrir uma loja de bolos precisa saber quantas fornadas consegue fazer em um dia ou a quantidade de pedidos de clientes que dará conta. Conhecer as capacidades produtivas de uma nova empresa também irá definir quais as projeções de venda que poderão ser feitas dentro do mesmo período no seu plano de negócios.

A quantidade que o seu negócio será capaz de produzir e vender deverá considerar a estrutura e os equipamentos disponíveis. Seguindo o nosso exemplo de uma empresa de bolos, o tamanho da cozinha poderá limitar a quantidade de receitas feitas diariamente. Mas, lembre-se que o plano de negócio também deve contar com os objetivos que devem ser atingidos. Ou seja, caso você comece com uma estrutura menor, poderá ir melhorando o ambiente de produção de acordo com o crescimento da empresa. 

4. Prepare o planejamento financeiro

Quanto custa abrir um negócio? Essa é a pergunta mais comum feita por quem está pensando em começar uma empresa. O investimento inicial depende de diversos fatores: o seu negócio terá um endereço fixo ou começara em sua casa? Você será o único dono da empresa ou vai contar com a ajuda de sócios? E são as respostas para perguntas como essas que irão definir a viabilidade financeira do seu negócio. 

Dentro do planejamento financeiro do plano de negócios é preciso especificar quais as estimativas de custos e despesas iniciais, capital de giro e fluxo de caixa, além de receitas e lucros previstos. Considere também os valores que serão investidos apenas no início da empresa, como a quantia necessário para reformas ou para compra dos primeiros equipamentos. 

5. Capriche no plano de marketing

Montar um plano de marketing pode não ser tão urgente quanto outras etapas do plano de negócio, mas é importante que ele seja feito ainda no começo da empresa e não apenas quando ela estiver 100% estruturada. Essa tarefa pode ser mais simples do que parece porque, a esta altura do planejamento, você já terá em mãos importantes informações para captar clientes, como a definição do público-alvo, dos produtos e serviços e do conceito da empresa.

Para quem está começando, as possibilidades de divulgação que a internet oferece são suficientes para o caminho até o cliente. As propagandas mais caras, como anúncios em jornais ou televisão não precisam ser descartadas, mas podem acontecer quando o fluxo de caixa da empresa estiver mais estruturado e os lucros maiores. 

Com um site profissional e perfis em redes sociais seu negócio será mais facilmente encontrado pelos consumidores. Além disso, essas plataformas permitem que sejam feitos anúncios pagos a preços mais camaradas, e também funcionam como um local para fazer boas promoções e sorteios – boas estratégias para conquistar clientes e aumentar as vendas!

6. Edição final: montagem do documento

Lembre-se que fazer um plano de negócios passo a passo inclui estruturá-lo como um documento que poderá ser apresentado para pessoas de fora da empresa. Dentro da diagramação básica não deixe de colocar uma página para capa, além do sumário tradicional e o sumário executivo, onde serão apresentados resumos sobre o negócio, como um perfil sobre o empreendedor (ou empreendedores), forma jurídica e enquadramento tributário da empresa com seu capital social. 

E você? Já tirou sua ideia do papel? Conte para nós como fez o seu plano de negócios!


Equipe Dono do Negócio

O Dono do Negócio é um blog feito pela SumUp para te ajudar a vender melhor.