Mais de 23% das empresas fecham em até 2 anos: como evitar?

Antes e depois de abrir um negócio, o planejamento estratégico é essencial para o crescimento e a consolidação de uma empresa
21 de maio de 2019LEITURA DE 5 MIN

Ninguém discorda que aprender com os erros é uma ótima forma de adquirir experiência e se superar. Mas nem sempre existe uma segunda chance para fazer melhor: há diversos casos em que negócios recém-abertos chegaram ao limite de precisar fechar as portas antes mesmo que seus donos conseguissem reverter a situação.

Por isso, é importante trabalhar com o mesmo empenho tanto para abrir uma empresa quanto para manter o seu funcionamento.

Segundo dados da pesquisa Panorama dos Pequenos Negócios 2018 do Sebrae (Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas), cerca de uma a cada 4 empresas registradas no CNPJ fecha antes de completar dois anos no mercado do Estado de São Paulo — ou seja, 23,7% não sobrevivem.

O Sebrae também tem um levantamento sobre o sucesso, o fracasso e as principais causas de “morte” das micro e pequenas empresas nos 5 primeiros anos depois da inauguração. Com base nesse documento, é possível saber como evitar cair na mesma estatística, além de entender como construir um negócio que se mantenha rentável.

Por quais motivos as empresas fecham nos primeiros anos?

1. Planejamento prévio

Segundo o levantamento do Sebrae, 46% dos donos dos negócios não conheciam muita coisa sobre os seus possíveis clientes, como, por exemplo, quantos eram eles ou quais hábitos tinham. Além disso, 39% dos empresários não sabiam qual o era o capital de giro necessário para abrir o negócio.

A análise da concorrência também foi baixa, já que 38% não pesquisaram o total de concorrentes que o negócio teria. Esses são tópicos trabalhados na hora do planejamento, que deve ser traçado antes de abrir um negócio — e atualizado também durante a gestão.

Sem informações como essas, a empresa fica muito mais vulnerável a viver um cenário de dificuldade para se manter no futuro.

2. Gestão empresarial

Continuar melhorando produtos e serviços, conhecer as novas tecnologias do setor, inovar em processos e procedimentos, além de investir na capacitação profissional: essas são as principais características da gestão empresarial nos negócios que sobrevivem no mercado.

Segundo a pesquisa, outra questão que fez diferença para as empresas que não fecharam foi a experiência prévia do dono do negócio no ramo em que ele investiu. Por isso, é importante se capacitar antes mesmo de abrir a empresa. Para ter acesso a cursos online e gratuitos sobre gestão, clique aqui.

3. Comportamento empreendedor

O terceiro motivo relacionado ao fechamento das empresas nos primeiros anos de vida está no comportamento empreendedor — ou a falta dele, no caso. “Se antecipar aos fatos, buscar intensamente informações e persistir nos objetivos são comportamentos que distinguem os empreendedores de sucesso”, diz o levantamento do Sebrae.

Outro fator importante é o plano de ações. Com ele, o empreendedor vai definir metas que deve atingir e planejar como fazer para chegar onde deseja!

Tem outras dicas de como manter uma empresa competindo no mercado? Deixe a sua mensagem!


ASSUNTOS

Equipe Dono do Negócio

O Dono do Negócio é um blog feito pela SumUp para te ajudar a vender melhor.