Reserva de emergência: o que é e como fazer

Momentos de imprevistos e de oportunidades são os beneficiados do montante guardado para emergências
24 de março de 2020LEITURA DE 9 MIN

Reserva de emergência é uma quantia em dinheiro que todo dono do negócio ou pessoa física deve ter guardado para usar em momentos imprevistos, sejam eles contratempos ou oportunidades. Esse valor costuma ser no mínimo duas vezes maior do que o orçamento de um mês da empresa ou dos gastos pessoais de uma pessoa.

Para quem tem um negócio, a reserva de emergência é uma forma de preservar a rotina do empreendimento, já que o dinheiro guardado poderá garantir que os processos continuem mesmo diante de um imprevisto, como a reposição do estoque, o pagamento de funcionários e fornecedores e de contas mensais como água, luz e aluguel.

Sem a reserva de emergência, pode ser preciso mexer em dinheiros que já estejam devidamente destinados para outros compromissos financeiros. Isso é facilmente uma porta de entrada para o “vermelho” no orçamento ou a chamada “bola de neve” de dívidas

É preciso saber diferenciar uma reserva de emergência de uma poupança comum. A quantia destinada aos imprevistos não estará guardada para render, por exemplo, mas sim para estar facilmente à disposição da pessoa ou da empresa quando algo extraordinário e fora do planejamento acontecer. 

A importância de ter uma reserva de emergência

A chave do sucesso para ter uma vida financeira saudável ou para ter um controle financeiro correto de um negócio é o planejamento. Você tem um determinado ganho mensal e uma quantia de obrigações que devem ser pagas de forma recorrente.

Gastar mais do que ganha, por exemplo, é sinônimo de desorganização e pode levar uma empresa à falência ou uma pessoa a ter o nome negativado nas listas de restrições de crédito. 

Ter uma reserva de emergência é importante para conseguir manter o planejamento financeiro intacto quando algo inesperado acontecer. Evitando, assim, usar o dinheiro reservado para outra coisa, pedir dinheiro emprestado ou até mesmo contrair uma dívida. 

Quando e como fazer uma reserva de emergência

Se você não tem uma reserva de emergência deve começar a poupar o quanto antes. Afinal, não podemos prever quando esse dinheiro será necessário e o melhor é estar prevenido. 

Para saber como fazer uma reserva de emergência, é preciso começar conhecendo cada um dos seus ganhos e gastos dentro de um período, que costuma ser mensal. Com esses valores em mãos, você saber como calcular reserva de emergência, uma vez que a quantia de ver um múltiplo de toda a necessidade financeira de uma pessoa ou empresa dentro desse período. 

Caso você ganhe R$ 2 mil por mês por exemplo, e com esse dinheiro consiga não apenas pagar todas as contas como água, luz e telefone, como também gastar com lazer e educação e ainda poupar alguma quantia, deverá multiplicar esse total por pelo menos dois meses.

O ideal é conhecer o nível de segurança que a sua fonte de renda tem para decidir quantos meses de reserva você precisará para manter a sua rotina de gastos caso aconteça algum imprevisto. Se o risco for baixo, pense em ter uma reserva de R$ 3 ou R$ 4 mil. Caso você esteja vivendo um momento de muita insegurança, tente guardar pelo menos R$ 6 mil para assegurar três meses de dinheiro em caso de emergência.  

Vai colocar a mão na massa e fazer a sua reserva para imprevistos? Siga o passo a passo:

  • 1. Conheça o seu orçamento

Coloque no papel ou em uma planilha online todos os detalhes de orçamento da sua vida financeira pessoal ou da sua empresa. Qual o valor das suas contas mensais? Quanto você gasta com lazer por mês? E com comida? Para quem tem um negócio, o fluxo de caixa é um registro valioso para conhecer bem os custos e as despesas da empresa

  • 2. Defina o total da sua reserva de emergência

Conhecendo bem o seu orçamento pessoal ou o do seu negócio será possível determinar qual o valor necessário para se manter ou manter a empresa diante de um imprevisto que trave ou diminua seus ganhos. Lembre-se de multiplicar esse valor por pelo menos duas vezes para chegar ao mínimo para a sua reserva de emergência. 

  • 3. Determine um prazo de montagem da sua reserva

Em até quanto tempo você quer ter uma reserva de emergência completa e disponível? Coloque um prazo para você consiga dividir o valor exato que precisa poupar por mês para chegar ao total desejado. 

  • 4. Corte gastos

É importante ressaltar que para fazer uma reserva de emergência poderão ser necessários alguns sacrifícios. Cortar gastos supérfluos e às vezes até alguns investimentos em bem-estar podem ser necessários de imediato para que a reserva seja constituída logo e evitar maiores problemas com situações inesperadas.

  • 5. Começe a poupar

Finalmente chega o momento de pegar o dinheiro e guardá-lo para começar a montar a sua reserva para imprevistos. Se você não sabe exatamente onde investir reserva de emergência, tenha em mente que deve ser um local que permita a transferência ou saque sem muita demora, com no máximo um dia após o pedido. Afinal, os momentos nos quais o uso desse dinheiro poderá ser solicitado podem ser de urgência total. 

Quando usar a reserva de emergência

O que primeiro pode vir à cabeça são os momentos ruins, como acidentes e doenças, mas a reserva de emergência também pode ser usada como forma de aproveitar oportunidades. Por exemplo: se o seu negócio está precisando comprar uma nova máquina e surge uma oferta com ótimo desconto caso o item seja pago à vista, esse pode ser um bom momento para utilizar o dinheiro guardado. 

Além disso, claro, momentos 100% fora do planejamento, como um problema de saúde que impossibilita o dono do negócio a abrir seu estabelecimento, uma demissão inesperada ou mesmo a quebra de um equipamento essencial para uma empresa são momentos para os quais a reserva de emergência deve estar disponível.

Você já tem uma reserva de emergência pessoal ou no seu negócio? Conte para nós a sua história!

Equipe Dono do Negócio

O Dono do Negócio é um blog feito pela SumUp para te ajudar a vender melhor.