O que é venda casada e por que ela é proibida?

Proibida pelo Código de Defesa do Consumidor, a prática tira a liberdade de escolha dos clientes e pode fazer com que o estabelecimento pague multa ou até mesmo feche
15 de julho de 2019LEITURA DE 4 MIN

Segundo o artigo número 39 do Código de Defesa do Consumidor (CDC), é proibido obrigar o cliente a comprar um produto ou serviço para adquirir outro. Também não é permitido impor uma quantidade mínima de produtos em cada compra. Popularmente, ao colocar um destes limites, o dono do negócio está praticando a chamada venda casada.

De acordo com o Instituto de Defesa do Consumidor (Idec), o crime contra a ordem econômica e contra as relações de direito do consumo também acontece quando o cliente vai à concessionária de carros e é informado que deve adquirir um seguro de automóveis.

Trata-se ainda de uma venda combinada quando o cliente é obrigado a levar uma garantia estendida para o produto que comprou, por exemplo.

Situações como a contratação de uma empresa de festas que obriga o uso de um buffet específico ou de um seguro de cartão de crédito cobrado pelo banco sem autorização do consumidor também entram na lista.

O que acontece com o estabelecimento?

Quando um cliente identifica a prática, ele pode recorrer ao Procon (Programa de Proteção e Defesa do Consumidor) de seu estado.

Caso seja denunciado, o estabelecimento pode responder administrativamente pelo ato, com o risco de ser condenado a pagar multa de até 20% do faturamento bruto da empresa no ano anterior ao processo.

Se o negócio voltar a praticar a venda casada, pode pagar o dobro de multa e até perder a licença do estabelecimento por um prazo de cinco anos.

Outras sanções para o negócio incluem a condenação do administrador do empreendimento e a inscrição no Cadastro Nacional de Defesa do Consumidor.

Ofereça descontos para lucrar mais

Para não obrigar o seu cliente a fazer uma compra combinada ilegal, é preciso ficar atento às ofertas do seu negócio. Lembre-se que é possível oferecer descontos em outros produtos caso o consumidor leve um determinado item.

Ao prestar serviço de eletricista, por exemplo, você pode dar a opção para o cliente trocar a fiação inteira do imóvel com valor reduzido. Com isso, o consumidor não será obrigado a mudar toda a elétrica da casa dele, mas saberá que tem uma oferta em mãos, caso deseje.

Assim, você, como dono do negócio, pode ganhar por mais um serviço prestado e o consumidor também sairá no lucro!

Tem outras estratégias para driblar a prática da venda casada no seu negócio? Compartilhe com a gente nos comentários!

Equipe Dono do Negócio

O Dono do Negócio é um blog feito pela SumUp para te ajudar a vender melhor.