Como vender pela internet: 16 dicas para o seu negócio dar certo

O comércio online é uma grande oportunidade para quem quer ser dono do próprio negócio
28 de janeiro de 2020LEITURA DE 23 MIN

Para saber como vender pela internet é preciso conhecer bem o mercado digital e o público-alvo do seu negócio. Mais do que apenas anunciar produtos em plataformas online, as vendas em e-commerces ou redes sociais precisam ser planejadas e contar com bons sistemas de logística, estoque, entrega e de atendimento pós-vendas. 

Vender online é hoje uma boa oportunidade de negócio para quem quer empreender. De acordo com a Associação Brasileira de comércio Eletrônico (ABComm), no primeiro semestre de 2019 o setor de e-commerce faturou R$ 35 milhões. A marca representa um crescimento de 16% em comparação com o mesmo período do ano anterior.

É possível vender pela internet de diferentes maneiras. A mais conhecida e estruturada é ter a sua própria loja virtual. Mas, para o pequeno empreendedor que está começando, algumas redes sociais como o Instagram e o Facebook também têm ferramentas voltadas para a venda de produtos, assim como os chamados marketplaces funcionam como uma espécie de “shopping online”, onde você pode se cadastrar e interagir diretamente com o consumidor. 

Quem pode vender pela internet?

Vender online é uma modalidade de comércio que permite a atuação de uma variedade enorme de setores. As possibilidades vão de vender roupas pela internet, produtos de beleza, bolsas, acessórios, itens de decoração, eletrônicos, alimentos e bebidas, livros e até serviços, como a entrega de marmitas e a contratação de faxineiras e eletricistas, por exemplo. Ou seja, muito provavelmente o tipo de negócio que você quer abrir poderá começar totalmente online. 

Além disso, se quando o comércio eletrônico chegou ao Brasil muitos consumidores tinham desconfiança de comprar pela internet e realizar um pagamento online, hoje temos tecnologias disponíveis que asseguram aos clientes uma experiência completa, segura e sem complicações.

Se você quer tirar do papel a sua ideia de loja virtual ou planeja começar a vender também pela internet com o seu negócio, confira as 16 dicas valiosas que o dono do negócio separou para quem quer ter sucesso no mundo do comércio eletrônico:

  • 1. Monte um plano de negócios

Se engana quem pensa que para saber como vender online não é preciso montar um bom plano de negócios. Planejamento é essencial para qualquer empresa dar certo, independentemente do suporte de vendas.

Por isso, reúna a maior quantidade de informações que puder a respeito do seu público-alvo, previsão de investimento inicial, capital de giro, fornecedores, estratégias para conquistar clientes e, claro, saiba quem está competindo com o seu negócio. 

  • 2. Pesquise a sua concorrência

Falando em competição, é preciso conhecer bem quais são as lojas ou empreendedores que disputam o mesmo público que você no cenário virtual. Você poderá disputar com um e-commerce, uma loja dentro de um marketplace (como Mercado Livre ou Elo7) ou até mesmo uma pessoa física que vende por redes sociais como Instagram ou Facebook.

Saiba como esses concorrentes falam com os usuários, qual a usabilidade do site deles, como funciona o sistema de entrega e, claro, as principais estratégias de marketing digital. 

  • 3. Escolha uma plataforma

Cada tipo de negócio tem regras específicas e podem ser tocados de maneira diferente na internet. Por exemplo, se você faz artesanatos em casa e quer aumentar o seu público, pode divulgar seus produtos nos chamados Marketplaces.

Esse tipo de plataforma, que no caso dos artesãos a Elo7 é uma das mais conhecidos, permitem que o empreendedor crie um cadastro e converse diretamente com clientes interessados para fechar vendas. Fique atento, pois na maioria das vezes são cobradas algumas taxas. 

Porém, para quem quer ter uma experiência completa e mais independente na internet, o melhor caminho é ter o seu próprio e-commerce. A estrutura de uma loja virtual já é tão comum que é é possível encontrá-la pronta em algumas plataformas especializadas, que permitem que você coloque use o seu próprio domínio (como www.lojadebolosdamaria.com.br), além de um sistema de pagamento e servidores.

Se você quer ter todo o controle sobre a sua plataforma de vendas online também é possível contratar um desenvolvedor para criá-la. Desta forma, todo o sistema será controlado pelo seu negócio, e a presença de um suporte de TI se tornará necessário para evitar a perda de vendas por problemas como indisponibilidade, por exemplo. 

  • 4. Pense no usuário

Citamos o termo usabilidade na dica acima. Você sabe o que isso significa na internet? A usabilidade é o nível de facilidade com que o usuário consegue acessar um sistema e interagir com as suas funcionalidades.

Quando a usabilidade de um site é ruim, um possível cliente pode facilmente desistir de uma compra. Isso acontece pela falta de um botão, por informações confusas e até mesmo por uma página cheia de conteúdo que cria uma sensação de ser impossível encontrar o que deseja.

É importante pensar na experiência do usuário no momento em que ele está acessando os produtos do seu negócio e fazer com que ela seja a melhor possível. Por isso, ter um site responsivo, que funciona tão bem na tela de um computador quanto em um aparelho celular, também é indispensável quando pensamos na realidade do usuário.

  • 5. Certifique-se de ter um site seguro

Como vender pela internet sem oferecer segurança para o cliente? Um site seguro protege os dados dos consumidores, que normalmente precisam dados sensíveis como endereço e documento para realizarem as compras. É importante ter um sistema antifraudes.

Além disso, você também deve ter um site que seja seguro para a forma de pagamento escolhida pelo cliente, seja depósito bancário, cartão de crédito ou boleto. Existem algumas certificações de segurança para e-commerces que podem dar credibilidade para a sua loja online. 

  • 6. Cuidado com fraudes

Por falar em segurança, o próprio dono do negócio também precisa ficar atento a possíveis golpes ou fraudes. Usuários que realizam uma compra e pedem para o banco estornar o valor da venda com o chamado chargeback, por exemplo.

Nesse tipo de transação também podem acontecer tentativas feitas com cartões clonados. O seu sistema de e-commerce deve conseguir identificar as possíveis fraudes e barrá-las antes mesmo do produto ser enviado, o que acarretaria um prejuízo para a empresa. 

  • 7. Gerencie bem os pedidos

Organização e um ótimo sistema para receber os pedidos dos clientes fará a diferença no dia a dia do seu negócio. Conte com a ajuda de softwares de gestão empresarial que permitem que o gerenciamento de diversas áreas de uma empresa esteja todo em um só lugar.

Os chamados sistemas ERP (Enterprise Resourcing Planning, em inglês, ou Planejamento de Recursos Empresariais, em português), são como programas de computador que reúnem e gerenciam recursos financeiros, de estoque, comercial, de vendas, de cobranças, contábeis e fiscais.

  • 8. Capriche na entrega

Como vender online sem ter um compromisso com a entrega? Ao comprar online o consumidor espera receber um produto igual ao que adquiriu sem a experiência de provar (em caso de roupas e sapatos) ou testar o que investiu. Faça tudo para que o item enviado não sofra avarias no meio do caminho. 

Ao caprichar no sistema de envio dos produtos você também irá garantir que esse mesmo consumidor tenha as expectativas atendidas quanto a receber o pedido dentro do prazo. A dica é ter uma entrega que cuida dos produtos e que seja comprometida com as datas. 

É claro que imprevistos podem acontecer. Imagine um cenário no qual o cliente fez um pedido e recebeu um prazo para o produto chegar na casa dele, mas os Correios entraram em greve um dia depois. Neste caso, é possível que a entrega seja adiada. Lembre-se que o mais importante é ser sempre transparente com o consumidor. Explique qualquer situação fora do normal e esteja disposto a assumir seus erros quando eles acontecerem. 

Outro ponto de destaque relacionado à entrega é o capricho na embalagem. Antes mesmo de postar o produto, é importante pensar em uma boa maneira de entregar a venda para o cliente. Qual será a primeira impressão que o consumidor terá da sua mercadoria quando ela chegar na casa dele? Dependendo do tipo de produto, é possível pensar em sacolas de panos, por exemplo, que ainda demonstram um cuidado com o meio ambiente. Invista em mensagens escritas a mão com agradecimentos pela pessoa ter escolhido o seu negócio. 

Além disso, também é muito comum que alguns clientes desistam da compra, já com o carrinho cheio, quando chegam na página onde está o preço do frete. Uma solução é colocar o valor do produto já com o total do envio. Também é possível oferecer frete grátis dependendo do local de entrega como uma forma de conquistar mais clientes. Promoções que isentam o consumidor que compra um valor alto de produtos no seu negócio são igualmente boas para aumentar as vendas.

  • 9. Aceite diferentes formas de pagamento

Quando você tem um e-commerce pode trabalhar com diferentes formas de pagamento, como aceitar pagamento em cartões de crédito e débito, emitir boleto bancário ou trabalhar com intermediadores de pagamento. Certifique-se de oferecer o maior número possibilidades para o cliente pagar suas compras como uma maneira de não perder vendas. Mas pesquise muito o funcionamento de cada um dos métodos, levando em consideração as taxas cobradas. 

  • 10. Use as redes sociais para divulgar o seu negócio

Hoje é praticamente impossível tirar do papel uma ideia de empresa sem pensar nas estratégias de marketing digital, que incluem a presença em redes sociais. Claro que não é preciso ter um cadastro ativo em todas, mas apenas naquelas onde o seu público-alvo marca maior presença. Por exemplo: o Instagram é uma ótima vitrine para produtos que rendem boas fotos, como roupas e sapatos. Uma dica: não publique apenas imagens dos produtos, pense em composições e ensaios fotográficos que incluam pessoas utilizando os itens. 

  • 11. Pague por anúncios online

A internet tornou a publicidade mais acessível para o pequeno empreendedor. Se antigamente era preciso pagar muito dinheiro para aparecer em locais como os jornais ou revistas de grande circulação – que consequentemente atingiram mais público –, hoje é possível pagar uma pequena quantia para ser visto por milhares de usuários. 

Google, Facebook e Instagram são plataformas que vendem espaços publicitários digitais que podem estar ao alcance do pequeno negócio. Procure fazer um planejamento financeiro com delimitações de gastos para este fim e acompanhe os resultados de cada um dos chamados posts patrocinados ou dos anúncios do Google. Todos eles oferecem opções de monitoramento que entregam dados como quantas pessoas foram atingidas mais o recorte de perfil dos usuários que interagiram com a página da sua empresa. 

  • 12. Conheça as melhores práticas de SEO

Para vender pela internet é preciso estar por dentro do mundo digital. Uma prática muito utilizada para se dar bem em plataformas online e conseguir fazer com que mais clientes realmente sejam convertidos em vendas no seu negócio é a de SEO (Search Engine Optimization, em inglês, ou otimização para mecanismos de busca, em português).

Tanto a estrutura de códigos da sua loja virtual quanto as mais variadas produções de conteúdo do seu negócio podem seguir essas regras de otimização para ficarem bem nas buscas.

Embora os algoritmos de gigantes como o Google estejam sempre em movimento, é possível tomar cuidados como compartilhar informações claras, verdadeiras e que tenham importância para o seu público. Procure usar palavras-chaves que tenham muitas buscas, e pensar como o usuário/cliente poderia encontrar a sua empresa em uma busca online. 

  • 13. Seja transparente com o cliente

Falamos da importância de ser transparente com o cliente quando algo sair diferente do esperado no momento da entrega, mas é preciso manter a franqueza com o consumidor em cada uma das etapas da sua empresa.

Evite qualquer letrinha miúda. Afinal, os produtos vendidos pela internet precisam ter descrições completas, claras e verdadeiras para que o cliente não compre algo que não irá satisfazer suas necessidades (esse cenário poderá trazer mais problemas do que benefícios para você no futuro). Use boas imagens que sejam fiéis aos produtos à venda.

  • 14. Forneça atendimento pós-venda

Mais do que colocar um produto para vender na internet e conquistar um cliente para comprá-lo, ter uma loja virtual é também oferecer um bom atendimento pós-venda.

Afinal, pode ser que exista uma necessidade de trocar o produto, por exemplo, ou que a mercadoria tenha chegado na casa do cliente com defeito. Neste caso, ele precisará entrar em contato com o seu negócio para obter o suporte que precisa.

Deixe os contatos fáceis de encontrar na sua plataforma, seja um telefone, WhatsApp ou e-mail. É recomendado que o cliente consiga te achar em diferentes meios de comunicação, seja através de tecnologias como o chatbot (sistemas de conversa digitais) ou a boa e velha ligação telefônica.

Quando um cliente tem um problema e é prontamente atendido, as chances dele voltar a fazer negócio com você, ainda que tenha tido algum imprevisto, são muito maiores.

  • 15. Monte um ótimo sistema de logística e cuide do estoque

Mesmo que a sua loja online não tenha um estabelecimento fixo onde o cliente pode ir para comprar, logística e estoque são dois setores que devem receber a devida atenção para que o negócio dê certo.

Se você tiver um espaço físico para armazenar os produtos que vende online, como ele será abastecido? Com que frequência? Quais serão os seus principais fornecedores?

Caso seja você quem faz os produtos que venderá pela internet, quais serão os ingredientes ou as matérias-primas necessárias? Com qual quantidade de cada item no estoque você poderá garantir a entrega dos pedidos dos clientes?

Os mesmos softwares de gestão empresarial que falamos na dica 7, sobre gerenciamento de pedidos, também podem ser utilizados para controle de estoque. Mas existem aplicativos especializados nesse setor de um negócio. Com alguns deles é possível saber quando é a hora de repor um produto.

Lembre-se que um gerenciamento de estoque ruim pode fazer com que você perca vendas – caso o cliente procure um produto que você não tenha no momento – ou saia no prejuízo por não vender um número suficiente de itens – quando um produto com pouca saída fica muito tempo parado no estoque. 

  • 16. Conheça e entenda as leis do comércio digital

É importante estar por dentro do que a lei diz para quem tem um negócio online. Elas existem para proteger os direitos do consumidor e também do empreendedor. A maioria das normas que regulam o comércio eletrônicos hoje está no próprio CDC (Código de Defesa do Consumidor) e incluem garantias como a opção do consumidor desistir de uma compra online dentro do prazo de 7 dias, com o estorno do valor feito pelo empreendimento. 

Ter esses conhecimentos faz parte de um bom gerenciamento de negócios. Para quem quer estudar o assunto, o Sebrae oferece um curso gratuito e online que inclui temas como gestão, processos e legislação no comércio eletrônico.

Vai começar a vender pela internet? Conte para nós a sua história!

Equipe Dono do Negócio

O Dono do Negócio é um blog feito pela SumUp para te ajudar a vender melhor.